Sábado (28) terá plantão dermatológico especial dermatite atópica

A edição de maio do Sobre Pele, uma parceria entre a Prefeitura da Serra e a Emescam, vai acontecer entre entre 8 e 12 horas

Sábado (28) terá plantão dermatológico especial dermatite atópica


Texto: Deborah Hemerly - Foto: Wavebreakmedia_micro/Freepik

No próximo sábado (28), das 8 às 12 horas, vai acontecer mais “Sobre Pele-Plantão Dermatológico”, no Ambulatório Municipal de Especialidades (Ames), em Jardim Limoeiro. A edição de maio desse projeto, que é uma parceria entre a Prefeitura da Serra e a Emescam, será um especial de dermatite atópica.

Os usuários da rede de saúde municipal contam com o atendimento de residentes de dermatologia da faculdade de Medicina, acompanhados por professores. São dois acadêmicos por sala, avaliando os usuários da rede de saúde municipal.

Para acessar o serviço, o munícipe deverá procurar a Unidade de Saúde mais próxima da casa dele. No local, as equipes médicas farão o primeiro atendimento e, se for o caso de uma indicação para o especialista, o caso será agendado para o “Sobre Pele- Plantão Dermatológico”, via Sistema Nacional de Regulação (SisReg).

Você já ouviu falar na Dermatite Atópica? “Trata-se de uma doença crônica e hereditária que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões avermelhadas principalmente nas áreas de dobras do corpo como pescoço, cotovelos, atrás dos joelhos, mãos e tornozelos, além da face, com coceira intensa na pele. Não é contagiosa e sua causa exata é desconhecida”, explicou a dermatologista Cristiani Banhos, que completa: “A dermatite atópica costuma ocorrer entre pessoas da mesma família, com a asma ou a rinite alérgica”.

SECOM – Então, a dermatite atópica tem relação com o clima, a temperatura?

CRISTIANI BANHOS – Ela é agravada por condições ambientais de mudança de temperatura como o frio, contato com tecidos sintéticos; sabão de lavar roupa muito concentrados, poluição, estresse emocional e excesso do uso de sabonetes agressivos que cursam com maior ressecamento da pele e estimulam a inflamação da pele.

SECOM – A dermatite atópica acomete um público específico?

CRISTIANI BANHOS – A cada ano, até cerca de 10% dos adultos e 20% das crianças são diagnosticados com dermatite atópica. A maioria das pessoas desenvolve o distúrbio antes dos cinco anos, e muitas o desenvolvem com menos de um ano de idade. A dermatite atópica que se desenvolve durante a infância frequentemente desaparece ou diminui consideravelmente até a fase adulta. A dermatite atópica pode começar durante a idade adulta ou até mais tarde na vida.

Embora o problema permaneça durante toda a vida, os sintomas de prurido podem desaparecer à medida que a pessoa envelhece e haja equilíbrio do sistema imunológico, mas a pele continuará seca e sensível.

SECOM – Quais as características da doença?

CRISTIANI BANHOS – Os sintomas variam de acordo com a fase da doença, podendo ocorrer em três estágios: fase infantil (três meses a dois anos de idade), fase pré-puberal (dois a 12 anos de idade) e fase adulta (a partir de 12 anos de idade). A característica principal da doença é a pele seca com coceira constante, que pode provocar ferimentos pelo ato de coçar-se, além de interferir no sono dos pacientes acometidos.

SECOM – E a forma de tratamento?

CRISTIANI BANHOS – O tratamento consiste nos cuidados locais: evitar banhos quentes e demorados, além evitar o uso de buchas e sabonetes agressivos para a pele. Aplicar os cremes hidratantes diariamente logo após o banho são medidas que podem prevenir ou reduzir as crises.

Outras recomendações consistem em: usar roupas de algodão ou de tecidos macios, evitando fibras ásperas que provoquem coceira; evitar roupas apertadas; tomar banhos e duchas com água morna, utilizando um sabonete suave ou um produto de higiene sem sabão; secar a pele suavemente com toalha macia, sem esfregar; manter curtas as unhas, para evitar ferir a pele ao se coçar.

SECOM – Nos casos mais graves, como tratar?

CRISTIANI BANHOS – Caso as medidas locais não sejam suficientes para o controle do quadro e, dependendo da gravidade da apresentação do quadro e dos sintomas associados, como pertubação do sono e coceira, existem diversos medicamentos que ajudam no controle da doença. Esses medicamentos podem ser desde pomadas terapêuticas a medicamentos orais, que deverão ser indicados pelo médico dermatologista.

SECOM – No sábado (28), haverá uma ação voltada para a dermatite atópica, no entanto, o serviço especializado é ofertado pela Prefeitura da Serra? Qual o acesso?

CRISTIANI BANHOS – O serviço de atendimento a pacientes com dermatite atópica já é realizado pela Prefeitura da Serra. Ele é realizado pela equipe de médicos dermatologistas do município. O acesso é através de agendamento, via Unidade de Saúde, após avaliação pelo clínico-geral ou pediatra.

SECOM – Fale um pouco mais sobre a ação de sábado?

CRISTIANI BANHOS – A ação deste sábado também será por agendamento prévio de pacientes que foram encaminhados pelos médicos das Unidades de Saúde. A previsão de atendimento serão de 80 pacientes que, a depender da gravidade do quadro, serão reagendados logo após o atendimento médico.