Antropólogo Carlos Brandão fala sobre Folia de Reis em Nova Almeida

Durante o evento, o antropólogo, que é professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor convidado da Ufes, falou sobre o tema "Pesquisa Participante"
Antropólogo Carlos Brandão fala sobre Folia de Reis em Nova Almeida
TEXTO: Gabriela Conti   FOTO: Divulgação

Na manhã desta sexta-feira (19), o antropólogo Carlos Rodrigues Brandão esteve na Igreja Reis Magos, em Nova Almeida, a partir das 9h para falar sobre Folia de Reis. A tradicional festa é objeto de estudo do pesquisador há anos.

O encontro reuniu pesquisadores e docentes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a secretária de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer (Setur), Sandra Gomes, além de convidados da comunidade.

Durante o evento, o antropólogo, que é professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor convidado da Ufes, falou sobre o tema "Pesquisa Participante". Em sua fala, ele fez um link com a cultura, memória e educação.

“Sempre estudei muito sobre Folia de Reis. Para resumir a minha fala, se fosse uma árvore, a raiz seria a cultura, o tronco seria a cultura popular, o galho seria a educação e a folha seria a Folia de Reis”, adiantou o antropólogo.

 

Folia de Reis

Declarada Patrimônio Cultural Imaterial da Serra pela lei nº 4.469, de 2016, a Folia de Reis é realizada anualmente entre os dias 4 e 6 de janeiro. A festa é uma alusão ao nascimento de Jesus Cristo e à visita dos Reis Magos.

 

Perfil

Carlos Rodrigues Brandão, de 84 anos, é licenciado em psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1965); mestre em antropologia pela Universidade de Brasília (1974); doutor em ciências sociais pela Universidade de São Paulo (1980); livre docente pela Universidade Estadual de Campinas. Realizou pós-doutorado na Universidade de Perugia e na Universidade de Santiago de Compostela. Atualmente é professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor colaborador do POSGEO da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Possui experiência na área de antropologia, com ênfase em antropologia camponesa, antropologia da religião, cultura popular, etnia e educação. É Comendador do Mérito Científico pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, doutor honoris causa pela Universidade Federal de Goiás, professor emérito da Universidade Federal de Uberlândia e professor emérito pela Universidade Estadual de Campinas. Escreveu artigos e livros nas áreas de antropologia, educação e literatura.