Escola de Tempo Integral começa a funcionar hoje na Serra

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Profª Eulália Falquetto, em Vila Nova de Colares, vai aplicar o ensino de tempo integral
Escola de Tempo Integral começa a funcionar hoje na Serra
TEXTO: Jéssica Romanha   FOTO: Bianca Nascimento/Secom-PMS

Um novo modelo de ensino e escola começa a ser implantado na Serra a partir desta quarta-feira, dia 20. A Escola Municipal de Ensino Fundamental Profª Eulália Falquetto, em Vila Nova de Colares, vai aplicar o ensino de tempo integral, com atividades extras como: aula de teatro, horta escolar, natação e coral. O local servirá como modelo para a expansão do sistema na rede de ensino municipal. São 54 professores e, aproximadamente, mil alunos.

Para o secretário de Educação da Serra, Gelson Junquilho, investir na política educacional de tempo integral na rede pública municipal significa dar um passo mais ousado para a educação com qualidade.

“Não se trata apenas de aumentar o tempo de meninos e meninas na escola, mas contemplar as suas totalidades como seres humanos em todas as suas dimensões, como o afeto, emoção, sensibilidade e criatividade, numa escola inovadora, diferente e integrada ao seu território. A educação integral é uma das ações da política educacional da Serra, a qual denominamos: escola que acolhe, escola que transforma”, destacou o secretário. 

Junquilho explicou que o novo modelo foi apresentando para os pais e responsáveis, que apoiaram a iniciativa do processo de aprendizagem transversal. “As crianças não vão ficar brincando no período estendido. Todas as atividades estarão vinculadas ao ensino das matérias curriculares, seja o xadrez, a horta ou o coral”, pontuou.

De acordo com a subsecretária pedagógica da Sedu, Lêda Calente, professores e assessores pedagógicos da Secretaria de Educação da Serra passaram por formação com especialistas para implementação da educação de tempo integral no município.

“A proposta é ampliar aos poucos esse novo modelo. Estamos empenhados em investir na formação dos profissionais que estarão na escola, para que ela seja uma referência na continuidade da educação integral no município”, completou a subsecretária da pasta.