Estradas rurais da Serra ganham barreiras para impedir caminhões com excesso de peso

As barreiras vão ser implantadas na estrada rural que liga a BR 101 às comunidades de Muribeca, Calogi e Aroaba
Estradas rurais da Serra ganham barreiras para impedir caminhões com excesso de peso
TEXTO: Jéssica Romanha   FOTO: Divulgação-PMS

A Prefeitura da Serra, por meio da Secretaria de Agricultura, Agroturismo, Aquicultura e Pesca (Seap), vai implantar barreiras na estrada rural que liga a BR 101 às comunidades de Muribeca, Calogi e Aroaba para impedir que carretas que fogem da pesagem e fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) danifiquem as estradas municipais. 

A iniciativa da Prefeitura de colocar barreiras físicas de concreto na estrada foi discutida em reuniões com as comunidades locais. As três bases fixas de concreto, com largura de até 2,75 metros, serão implantadas na estrada até a primeira quinzena deste mês.

O secretário de Agricultura da Serra, Samuel Dias, frisou que as bases só vão impedir o tráfego de carretas de grande porte, com peso acima de 23 toneladas. “Carros de passeio, caminhões truck e de pequeno porte e ônibus vão conseguir transitar facilmente pelas estradas”, pontuou.

A prefeitura também já implantou quebra-molas (lombadas) e placas de sinalização de trânsito no trecho.

A atitude dos caminhoneiros, que desviam da pesagem, vai além da infração de trânsito, pois leva risco e transtorno para as comunidades que margeiam a BR101. “Temos o objetivo de impedir a travessia de carretas de grande porte pelas comunidades rurais de Muribeca e Calogi, pois colocam em risco a segurança dos moradores, além de obrigarem o município a realizar intervenções constantes, o que aumenta os custos com manutenção na região”, destacou Dias.

Os desvios e o transtorno

A moradora e representante da comunidade de Muribeca, Laudinéia Vieira Razani, conta que vê carretas carregadas de blocos de granito usando a estrada rural para desviar do posto da PRF. 

“Elas passam durante todo o dia, principalmente entre 20 horas e meia-noite. As carretas passam embaladas, em alta velocidade, para cortar caminho e não serem pegas na pesagem, só que isso tem prejudicado a estrada, deixando-a cheia de buracos e trepidante. A prefeitura vem e arruma a estrada, mas, no outro dia, com a passagem das carretas volta a ficar ruim de novo”, relata a moradora.  

O presidente da Associação de Moradores e Produtores Rurais de Calogi, Altino Pereira Filho, conta que já teve carreta que quebrou na estrada e pedras caíram do caminhão, prejudicando a passagem dos produtores rurais.

“A passagem constante das carretas por aqui deixa a estrada mais perigosa, e quando o caminhão quebra atrapalha a passagem. É muito ruim. Além disso, quando elas passam faz muito barulho, principalmente à noite, quando o fluxo é maior, e os cachorros ficam latindo e correndo atrás. A gente fica assustado achando que é outra coisa!”, contou.   

Saiba mais:
Estrada: liga a BR 101 às comunidades de Muribeca e Calogi. Fica a aproximadamente 5 quilômetros do posto da Polícia Rodoviária Federal, na Serra. 
Barreiras: serão instaladas três bases fixas de concreto no chão, com largura de até 2,75 metros. 
Prazo: as intervenções serão implantadas até a primeira quinzena de dezembro. 
Intervenção: o Departamento de Engenharia de Trânsito da Serra elaborou o projeto de sinalização da via.