Moradia digna para mais 608 famílias na Serra

Os novos moradores de Ourimar I e II viviam em áreas de risco e agora irão para casas estruturadas
Moradia digna para mais 608 famílias na Serra
TEXTO: Dayse Torres   FOTO: Divulgação

Ter um sonho e conseguir realizá-lo é uma grande alegria. E se o que se almeja é ter uma casa própria, a concretização deste desejo tem um sabor ainda mais especial. Este é o sentimento de 608 famílias da Serra nesta sexta-feira (1º), pois elas foram contempladas e acabam de receber novos e estruturados lares nos empreendimentos Ourimar I e II.  

Todos os beneficiados irão receber as chaves de suas casas às 14 horas, já no local onde irão morar. As novas residências ficam na Rua Domineu Rody Santana, 137, em Ourimar. As chaves serão entregues por representantes do Ministério das Cidades, Prefeitura Municipal da Serra e Caixa Econômica Federal.

Os novos moradores de Ourimar I e II viviam em áreas de risco de bairros como Vila Nova de Colares, Feu Rosa, Jacaraípe, Divinópolis, Cascata, Jardim Tropical, Jardim Carapina, Planalto Serrano, José de Anchieta, dentre outros.

Agora irão para lares estruturados. Os apartamentos são compostos por dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. Para a concretização dos dois empreendimentos foi realizado um investimento de R$ 36 milhões.

Para a secretária de Habitação da Serra, Áurea Almeida, a entrega das 608 unidades habitacionais de Ourimar I e II representa o maior investimento para o município da Serra na política habitacional. “Esse investimento repercute diretamente na cidadania das famílias que foram atendidas pelo programa. Além de dar dignidade a todas as pessoas que passarão a residir em imóveis seguros e em plena condição de habitabilidade", afirma ela.

A seleção de famílias para os empreendimentos Ourimar I e Ourimar II começou em 2015. Durante o processo foram observados critérios nacionais e municipais como Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico), renda familiar, tempo de moradia no município, número de dependentes, mulher como chefe de família, estar em situação de vulnerabilidade e/ou aluguel social, famílias com pessoas idosas ou com deficiência, moradores de áreas de risco do município identificados pela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) e outros.