Prefeitura e moradores fazem mutirão para acabar com lixo em bairro

A ideia, para enfrentar este problema, é não apenas fazer a limpeza (pois o problema sempre volta), mas envolver toda a comunidade para buscar uma solução definitiva para o problema
Prefeitura e moradores fazem mutirão para acabar com lixo em bairro
TEXTO: Sinval Paulino   FOTO: Divulgação

O brasileiro produz em média 383 quilos de lixo por ano, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, e o poder público tem buscado várias alternativas para lidar com a questão do lixo: parcerias com empresas para reciclagem, reaproveitamento de material, tratamento de lixo e limpeza constante nas ruas.

De acordo com o secretário de Serviços da Prefeitura da Serra, Samuel Dias, todas estas medidas são eficazes, mas têm de ser adotadas em conjunto e não funcionam se não houver componentes fundamentais: a educação ambiental e o envolvimento da comunidade na questão da destinação do lixo.

“Estamos intensificando o trabalho de envolvimento dos moradores, através de campanhas educativas”, disse o secretário, que destaca os trabalhos das secretarias de Meio Ambiente e da Defesa Social, por exemplo, na fiscalização e conscientização nesta área. Um exemplo é a força-tarefa que está sendo desenvolvida em Novo Porto Canoa, onde está sendo enfrentado o problema do lixão que incomoda os moradores.

A ideia, para enfrentar este problema, é não apenas fazer a limpeza (pois o problema sempre volta), mas envolver toda a comunidade para buscar uma solução definitiva para o problema. Para isso, os agentes da prefeitura atuam em várias áreas: conscientização, fiscalização, punição e, principalmente, envolvimento dos moradores no assunto. “Somente com este trabalho conjunto é possível dar uma solução definitiva”, disse Samuel.

Ele cita como exemplo positivo o caso da comunidade de Morada de Laranjeiras. Segundo ele, nesta região havia um ponto crítico, logo na entrada do bairro. “Ali o problema acabou porque houve envolvimento dos moradores e de uma empresa na região”, explicou o secretário, reforçando que todos ganham com um bairro permanentemente limpo e livre de pontos viciados de lixo.

Pontos viciados são aqueles locais – terrenos, muros, esquinas – onde a limpeza é feita mas, logo em seguida, já tem sacos de lixo, entulho e até animais mortos no local. Há casos em que o mau hábito é tão comum que até pessoas e carros de outros bairros vêm jogar lixo no local.

Samuel Dias disse que esta questão de pontos viciados tem de ser enfrentada todos os dias e outros pontos importantes são o reforço na fiscalização e a punição dos casos reincidentes. Ele cita o exemplo de uma empresa prestadora de serviços que foi flagrada recentemente depositando lixo em local inadequado e que foi multada em R$ 5 mil. “Eu mesmo flagrei e encaminhei o processo”, disse.

“Todos querem viver em um bairro limpo e todos podem contribuir para isso”, disse o secretário, explicando que, quando uma pessoa vê sujeira em uma esquina, acaba se sentindo estimulada a depositar mais lixo no local. Assim, uma maneira de evitar o problema é depositar o lixo na rua somente nos horários de coleta.

Dicas

- Denuncie se presenciar pessoas ou empresas depositando lixo em local inadequado: ligue 9 9836-2966.

- Jogue o lixo no máximo uma hora antes da passagem do caminhão. Isso evita que atraia animais.

- Não jogue lixo na rua após a passagem do caminhão. Colocar o lixo na esquina de um dia para outro não funciona. Isso estimula outras pessoas a colocarem lixo na rua e atrai animais.

- Lixo na rua atrai mais lixo. Pessoas de fora se sentem à vontade para jogar lixo onde já está sujo.

- Ações feitas pelos próprios moradores costumam ser respeitadas pelos vizinhos. Ajude a acabar com pontos viciados.

- Entulho é de responsabilidade de quem produz. Descarte este material em locais adequados.

- Mantenha limpas as lixeiras.