Serra é segundo melhor lugar para investir no Espírito Santo

Neste ano de 2019, o potencial de consumo dos moradores do município é de R$ 12,246 bilhões

Serra é segundo melhor lugar para investir no Espírito Santo


Texto: Samantha Dias

A Serra é a segunda melhor cidade do Estado para se investir por causa do potencial de consumo da população, de acordo com a pesquisa IPC Maps realizada todos os anos pela IPC Marketing Editora. Neste ano de 2019, o potencial de consumo dos moradores do município é de R$ 12,246 bilhões.

A pesquisa é feita em todos os 5.570 municípios brasileiros com base nas informações demográficas e de potencial de consumo dos moradores para 22 setores. Além da divisão por categoria de consumo, o levantamento também faz a separação por classe social.

Na Serra, a classe C é a responsável por puxar o cenário de consumo, com 40,7% dos recursos que serão gastos neste ano de 2019 (R$4,975 bilhões). Em segundo lugar, aparece a classe B, responsável por 39,3% do consumo do ano (R$4,8 bilhões).  

Os setores onde os consumidores mais vão gastar sua renda são, em ordem, manutenção do lar, outras despesas (que inclui cabeleireiros, empregada doméstica, alimentos e outros produtos para animais, aquisição de veículo, entre outras coisas), alimentação em domicílio, materiais de construção e gastos com veículo próprio.

Também é possível saber, com base na pesquisa, sobre os setores das empresas instaladas no município. O maior número de empresas instaladas na cidade são das áreas de serviços (31.876 empresas), comércio (20.777 empresas) e indústria (14.207 empresas), nessa ordem.

O prefeito da Serra Audifax Barcelos destaca que o cenário revelado na pesquisa contribui para traçar um horizonte de oportunidades para os investidores. “O município é competitivo, tem características atrativas e nossa gestão amplia e fortalece os incentivos para, cada vez mais, atrair negócios que geram emprego e renda para os moradores. Nossa atuação é para promover a melhoria no ambiente de negócios do município e facilitar as atividades comerciais. Oferecemos desde incentivos fiscais, orientação, capacitação e crédito aos interessados em se instalarem ou ampliarem negócios no município”, disse o prefeito.

Audifax Barcelos destacou que esse é um ciclo bom, um ciclo de desenvolvimento, pois atrair negócios fomenta a geração de renda para o trabalhador, que impulsiona o consumo. “Além disso, a Serra está sendo cada vez mais procurada pelas famílias, que querem se instalar na cidade. O mercado consumidor é crescente”, disse.

Crescimento

Para José Eduardo Azevedo, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, o indicador sinaliza que temos um ambiente favorável para atrair investimentos e negócios, especialmente, nos itens relacionados ao lar, construção, educação, saúde e beleza.

O secretário, também, pontuou que houve evolução do município na pesquisa: “a Serra teve uma melhora no IPC Maps deste ano, o que evidencia um sinal de dinamismo na economia da cidade, tendo impacto positivo na geração de emprego e novas oportunidades, mesmo nesse momento difícil que passa a economia do país”.

O município subiu uma posição de 2018 para 2019, passando de 3º para 2º melhor lugar para se investir no ranking estadual. Vila Velha aparece em primeiro lugar em 2019 com potencial de consumo de R$13,960 bilhões. A nível Brasil, a Serra aparece na 50ª posição.

O Espírito Santo aparece na 12ª posição no ranking dos estados brasileiros com melhores condições para receber investimento. No ano passado, ocupava a 13ª posição.  

Ranking do potencial de consumo dos municípios no Espírito Santo

1 - Vila Velha: R$13,960 bilhões

2 - Serra: R$12,246 bilhões

3 - Vitória: R$ 10,649 bilhões

4 - Cariacica: R$ 8,694 bilhões  

5 - Cachoeiro de Itapemirim: R$4,804 bilhões