Serra 467 Anos: Educação faz prestação de contas apontando conquistas e investimentos crescentes

Evento foi acompanhado pelo prefeito da Serra, Sergio Vidigal, e reuniu profissionais do Magistério, diretores de unidades de ensino e público em geral

Serra 467 Anos: Educação faz prestação de contas apontando conquistas e investimentos crescentes


Texto: Marcelo Pereira - Foto: Edson Reis

A Secretaria de Educação (Sedu) realizou sua prestação de contas apresentando dados de investimentos, projetos e avanços pedagógicos nos últimos três anos, na manhã desta quarta-feira (6), no auditório do prédio administrativo, em Serra Sede. Atualmente, a rede é formada por 144 unidades de ensino (Emefs e CMEIs), quase 70 mil estudantes e 7.927 servidores.

O evento, que reuniu um público formado majoritariamente por diretores de escola, professores, pedagogos e demais profissionais do Magistério, foi acompanhada pelo prefeito da Serra, Sergio Vidigal, e representantes da Câmara Municipal e do Conselho Municipal de Educação.

A secretária de Educação, Luciana Galdino, pontuou as principais mudanças no campo do ensino tanto na infraestrutura quanto no desenvolvimento de 2021 até o presente.

“Foram investidos, nos últimos três anos, mais de R$ 1,6 bilhão reunindo recursos próprios, repasses, verbas parlamentares e convênios. É uma prova que a atual gestão tem um compromisso com Educação que deve ser sempre de qualidade”, afirmou.

Luciana indicou que quatro unidades foram entregues (CMEIs Divinópolis,Marilda Rodrigues, Professora Maria Madalena Prado Silva e Emef Ana Gomes) e outras 10 estão em construção. Entre elas, a Emef de Jardim Bela Vista. São investimentos de mais de R$ 100 milhões.

As reformas, manutenção e ampliações das escolas também foram lembradas. Nos últimos dois anos, 40 unidades receberam serviços como pintura geral, revisão elétrica, instalação de sistema de drenagem, substituição de esquadrias, portas e janelas, ampliação de quadra de esportes. Somente em 2023 foram investidos R$ 32 milhões.

A prestação também lembrou que a distribuição de uniformes escolares foi retomada na atual gestão e houve ampliação do número de peças no kit. Em 2022, eram três peças (1 camisa gola polo, 1 camisa com manga ou 1 short saia e bermuda) indo para cinco peças (1 camisa gola polo, 2 camisas com manga, 2 bermudas e 2 short saias).

Foi anunciada que, no próximo ano letivo, haverá a inclusão de uma mochila para as crianças da Educação Infantil.

Para 2024, foi anunciada a implantação definitiva do sistema de geração de energia elétrica com uso de placas fotovoltaicas nas escolas. A expectativa é que o gasto com energia elétrica caia dos atuais R$ 4 milhões para aproximadamente R$ 500 mil.

Projetos pedagógicos

As conquistas da Educação da atual gestão ultrapassam a questão de infraestrutura. Também se destacam no desenvolvimento pedagógico e na performance em sala de aula de estudantes e professores.

Luciana Galdino lembrou que os índices de fluência em leitura na rede municipal da Serra estão melhorando e têm tido crescimento constante.

A avaliação é do Governo do Estado em parceria com os municípios que aderiram ao Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (Paes). Em 2023, foram avaliados 5683 alunos da rede municipal.

“Tivemos um avanço no número de estudantes considerados leitores iniciantes e fluentes chegando a quase 60%. Em 2021, eram 28%. Isso é muito bom não somente para a Serra porque qualquer impacto na nossa rede influencia os índices educacionais do Estado, já que somos a maior rede”, comemorou.

Dentro da modalidade de fortalecimento da alfabetização e também interesse por literatura, foi lembrado o programa LiteraSerra. A grande ação de 2023 foi o projeto “Vamos Ler Juntos?”, quando foi distribuído 2 mil exemplares do livro “Chapéu”, da escritora e professora da rede Joana Herkenhoff.

A secretária ainda lembrou dos esforços para combater os efeitos do fechamento das escolas no desenvolvimento dos estudantes durante a crise sanitária de coronavírus. Entre eles, o “Potencializando Aprendizagens”, com reforço escolar para 8.385 alunos do 3º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Foi destacado também a performance da plataforma gamificada Jovens Gênios, que adapta conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática para um formato de jogo eletrônico em caráter lúdico. Atualmente, é utilizada por 14.530 alunos do 6º ao 9º ano O plano é estender o conteúdo para outras disciplinas em 2024.

Na Educação Especial, o acompanhamento de crianças e alunos com deficiência nas escolas da Serra se tornou uma marca de excelência da atual gestão. Luciana informou que houve um aumento de 80% na contratação de professores especializados (eram 396 em 2020 e, em 2023, são 713). O número de cuidadores teve uma ampliação ampla, de 88 em 2020 para 600 (aumento de 588%). O número de salas com recurso multifuncionais saiu de 43 para 54. A expectativa é abrirem mais 40 no próximo ano.

Outra vertente importante da rede e que faz a diferença na Serra é a Coordenação de Estudos Étnico Racial (CEER). Ela acompanha e auxilia as escolas no cumprimento da Lei Federal  10.639/2003, que completa 20 anos, e que institui o ensino da história e da cultura afro-brasileira nas redes de ensino.

Luciana recordou que a adesão a uma educação de caráter contra o racismo tem tido adesão crescente pelas escolas. Tanto que na noite da última terça-feira (05) houve a entrega do troféu Chico Prego, durante o V Afrocelebrarte. Foram premiadas 47 práticas pedagógicas ao longo de 2023.

A secretária ainda lembrou dos trabalhos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e o desafio de ampliar mais vagas dessa modalidade. Reforçou a parceria com o Ifes Serra, num programa que oferece cursos de qualificação profissional. Assim como no ano passado, haverá formatura desses estudantes nos cursos de Operador de Computador e Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão.

Foi lembrada ainda a valorização profissional com ganhos salariais que chegam a aproximadamente 25% nos últimos três anos. O último reajuste foi no início de dezembro, de 3,27%, acrescido nos vencimentos a partir de janeiro de 2024, se aprovado pela Câmara Municipal. Além disso, o piso do Magistério foi de R$ 1460 para R$ 2.850, considerando 25 horas semanais.

O investimento por aluno, o chamado per capita ano, calculado pelo Programa de Autonomia Financeira Escolar (Pronafe) aumentou em 108% em quatro anos. Em 2021 era de R$ 96. Para 2024, chegará a R$ 160.

A prestação foi encerrada com um vídeo reunindo as conquistas e destaques dos alunos em várias concursos e competições.